Leite Moça, por quê?

A jovem com trajes típicos que aparece no rótulo da embalagem é uma camponesa suíça do século XIX. Naquela época, o leite condensado mais popular da Suíça tinha a marca La Laitière, que significa vendedora de leite.

Quando esse leite foi exportado para outros países, procurou-se um nome equivalente na língua de cada região para onde o produto foi levado, nome sempre associado à figura da camponesa típica, com seus baldes de leite. Em espanhol, por exemplo, foi adotada a marca La Lechera.

“As pessoas tinham dificuldade para pronunciar esse nome e passaram a chamar o produto de o leite da moça.”

No Brasil, quando o produto começou a ser importado, em 1890, adotou-se inicialmente,

por falta de um equivalente adequado em português, o nome inglês Milkmaid, tradução de La Laitière. Mas as pessoas tinham dificuldade para pronunciar esse nome e passaram a chamar o produto de o leite da moça, referindo-se à ilustração da camponesa.

Assim, quando a Nestlé iniciou a produção do leite condensado no País, em 1921, optou pela solução lógica de utilizar uma designação criada espontaneamente pelos consumidores.

Foi assim que surgiu a tradicional marca Leite Moça, uma marca legitimamente batizada pelas consumidoras que passaram a ensinar suas filhas e netas como preparar maravilhas com Leite Moça.

Leia mais sobre a história de Leite Moça.

Abale Desenvolvimento Web Anotações

Descubra o propósito da sua marca
Receba nossa newsletter e fique por dentro das novidades em Branding e Negócios.